Embrapa reúne orientações sobre Helicoverpa na internet

Publicado em 21 de setembro de 2013

É hora de plantar soja e Embrapa destaca aspectos ligados ao manejo da praga

A Embrapa está disponibilizando para os agricultores brasileiros, um ambiente na internet http://www.embrapa.br/alerta-helicoverpa que reúne informações para ajudar agricultores e técnicos a lidar com a Helicoverpa armigera, uma nova e importante praga que alcança as culturas da soja, algodão, milho, entre outros cultivos, tem causado preocupação e exigirá atenção permanente às táticas de Manejo Integrado de Pragas (MIP).

Com o fim do período de vazio sanitário e início do plantio, as informações sobre soja são as mais demandadas. Elas estão agrupadas em www.embrapa.br/helicoverpa-soja, organizando as informações existentes e orientando sobre o manejo de pragas. “No site é possível encontrar informações sobre a praga, seu manejo, a importância da tecnologia de aplicação, dicas sobre o monitoramento da Helicoverpa e de outras lagartas da soja, além de entrevistas”, explica Clara Beatriz Hoffmann Campo, pesquisadora da Embrapa Soja.

“A chegada de uma nova praga, seja ela inseto ou doença, é sempre recebida com muita expectativa, afinal é algo que se tem pouco domínio ou informação, especialmente porque pouco se conhece sobre como se dará a evolução e a interação do problema com o ambiente brasileiro. No caso da Helicoverpa, o fato de ser uma praga com alto potencial de dano, gera ainda mais preocupação”, destaca Alexandre Cattelan, chefe-geral da Embrapa Soja.

No site também há palestras que podem ser assistidas gratuitamente sobre os temas Ataque de lagartas nas vagens, do pesquisador Adeney Bueno, que está dividida em três módulos (O que está ocorrendo? Amostragem e identificação e Manejo de lagartas da vagem) e Controle de lagartas com inseticidas em sistemas agrícolas – Implicações e dificuldades, do pesquisador Edson Hirose.

Com os riscos associados à nova praga, existe, por parte dos pesquisadores brasileiros, uma grande preocupação em orientar técnicos e produtores a fim de se evitar a aplicação indiscriminada de inseticidas, na tentativa de se controlar ou se evitar um surto da praga. “Não se deve aplicar inseticidas indiscriminadamente ou preventivamente, pois a tendência é que o problema se agrave”, alerta o pesquisador Adeney Bueno, da Embrapa Soja.

A orientação da Embrapa é para que o controle de pragas considere todo o sistema produtivo e diferentes táticas de controle cultural (controle biológico natural e aplicado, controle químico, controle com plantas resistentes incluindo plantas Bt, etc). “Hoje é cada vez mais comum encontrar várias culturas ocupando extensas áreas em uma mesma região. O resultado é a abundância de alimentos e um período de tempo maior para as pragas se multiplicarem. A melhor forma de lidar com essa situação é pensando no manejo de pragas de todo o sistema agrícola”, explica Edson Hirose, pesquisador da Embrapa Soja.

A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) tem feito um amplo esforço de pesquisa e transferência de tecnologia envolvendo várias de suas Unidades que atuam com as principais culturas que vêm sofrendo com o ataque de Helicoverpa armigera. “É fundamental, nesse momento, ampliar o volume de informações disponíveis sobre o manejo dessa praga e assim oferecer aos técnicos e produtores mais condições de pensar o manejo do sistema agrícola como um todo. Por isso, estamos procurando alinhar as iniciativas já em andamento nas Unidades Descentralizadas da Embrapa, com vistas a uma ação institucional integrada”, defende Paulo Galerani, assessor da diretoria de Pesquisa&Desenvolvimento da Embrapa. As informações gerais sobre a praga, esclarecimentos e orientações a respeito desta praga em várias culturas podem ser acessadas diretamente no site http://www.embrapa.br/alerta-helicoverpa.

Conheça as características e os hábitos da Helicoverpa armigera

A Helicoverpa armigera é uma espécie de lagarta que ataca principalmente as estruturas reprodutivas das plantas. “É uma lagarta extremamente agressiva, que costuma estar posicionada nas flores e vagens da soja e se multiplica muito rapidamente. A campo é praticamente impossível identificar a Helicoverpa armigera e separá-la da Helicoverpa zea”, explica Daniel Sosa-Gomez, pesquisador da Embrapa Soja e um dos responsáveis pela identificação da praga no Brasil. Apenas exames laboratoriais é que têm condições de comprovar a presença da praga. “Mas isso não significa que o produtor não terá como enfrentar essa situação. A amostragem de pragas e o monitoramento permanente da lavoura devem voltar a ser rotina nas propriedades e o nível de ação da praga o balizador das operações de controle químico”, destaca.

Fonte: Embrapa Soja


Assist Consultoria | Todos Direitos Reservados

Avenida Brasília, 2711 - (66) 3419 1007 - Campo Real CEP 78840-000 - Campo Verde - MT

. .