Soja mato-grossense amplia participação em Paranaguá

Publicado em 11 de julho de 2012

Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) concluiu, na terça-feira (10-07), o balanço da movimentação de cargas do primeiro semestre do ano. Mais uma vez, foi o desempenho da soja que impulsionou o aumento geral de 5%, em relação ao mesmo período de 2011. A exportação do grão, em 2012, foi 25% maior e a participação da soja mato-grossense aumentou na comparação com igual período do ano passado, passando de 12% para 15% do total movimento nos últimos seis meses.

De janeiro a junho deste ano, o Porto de Paranaguá movimentou mais de 20,7 milhões de toneladas (t) de cargas. Desse total, mais de 14,6 milhões de t são de granéis sólidos. E o maior volume, mais de cinco milhões, é da soja. Desse total, pouco mais de 753 mil t vieram de Mato Grosso, o que corresponde a 15% da movimentação de oleaginosa.

No ano passado, foram movimentadas pouco mais de 468 mil t, equivalente a 12% das 3,95 milhões de t contabilizados de janeiro a junho de 2011. Em 2010, a soja mato-grossense registrou o mesmo percentual de participação, com 416 mil t, de um total de 3,5 milhões de t em Paranaguá. Dos últimos quatros anos, a melhor performance em Paranaguá, no primeiro semestre, foi registrada em 2009, quando o grão mato-grossense somou 926 mil t, ou quase 24%, das 3,9 milhões de t movimentados no período.

De acordo com números compilados pelo Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), de janeiro a maio, Mato Grosso exportou 7,28 milhões de t, das quais 4,64 milhões, ou 63,75%, foram embarcados no porto de Santos, principal rota de escoamento para a soja local.

“A meta que nos foi passada pelo governador do Paraná, Beto Richa, foi a de dar o máximo de assistência e atenção ao produtor rural. Os números demonstram o bom momento para os produtores e nós, no porto, estamos concentrados em promover melhorias principalmente no corredor de exportação, para incentivar ainda mais a exportações do setor”, disse o superintendente da Appa, Luiz Henrique Dividino.

Está programada para o mês que vem o lançamento do edital de licitação para a realização da primeira etapa do repotenciamento do corredor de exportação do Porto, que vai permitir um ganho de 30% na produtividade dos embarques.

PREÇOS – De acordo com o engenheiro agrônomo Marcelo Garrido, técnico do Departamento de Economia Rural (Deral) da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento (Seab), o que impulsionou a exportação recorde, desde o início do ano, foram os preços. “Com quebra de safra na América do Sul e diminuição da área plantada de soja nos Estados Unidos – principal exportador do grão -, os preços da soja ficaram aquecidos, favorecendo os produtores brasileiros”, explica.

Ainda segundo o técnico do Deral, até junho o Brasil exportou US$ 15,95 bilhões do complexo soja (grão, farelo e óleo).

No fechamento do semestre, a Appa também registrou aumento na exportação de farelo de soja. Foram mais de 2,6 milhões de toneladas, 4% a mais que o período em 2011.

RECORD – As exportações de soja em grão produzida em Mato Grosso superam, em apenas seis meses, todo o volume embarcado durante os 12 meses de 2010 e estão 92,76% maiores quando comparadas aos volumes encaminhados em igual período do ano passado. O Estado nunca vendeu tanta soja em um intervalo de tempo tão curto. Com esses volumes, das mais de 21,3 milhões de toneladas (t) produzidas na safra 2011/12, no Estado, quase 60% já deixaram as fazendas, os armazéns e os portos nacionais.

De janeiro a junho deste ano, já saíram do Estado 8,79 milhões de t, ante um total de 8,65 milhões de t exportados de janeiro a dezembro de 2010. No primeiro semestre de 2011, 4,56 milhões de t haviam deixado os portos brasileiros com destinos aos principais consumidores internacionais da commodity mato-grossense.

Fonte: Diário de Cuiabá // Marianna Peres


Assist Consultoria | Todos Direitos Reservados

Avenida Brasília, 2711 - (66) 3419 1007 - Campo Real CEP 78840-000 - Campo Verde - MT

. .