Mato Grosso participará com 22% do total de grãos do país

Publicado em 10 de novembro de 2012

A produção nacional de grãos na safra 2012/13 deverá atingir 181,55 milhões de toneladas, de acordo com o segundo levantamento de safra divulgado ontem, pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), em Brasília. O valor representa um aumento de até 9,3% comparado à safra passada, que chegou a 166,17 milhões de toneladas. Mato Grosso, segue como líder nacional de produção, e conforme a estimativa deverá contabilizar 41,38 milhões de toneladas, volume que se confirmado acrescentará cerca de 1 milhão de toneladas em relação à safra passado e assim, representar 22,79% do total nacional.

Considerando o volume previsto para o Centro-Oeste, que deve somar pouco mais de 72,52 milhões de toneladas, Mato Grosso estará respondendo neste ciclo por 57% da produção de grãos e fibras. O segundo maior produtor nacional será o Paraná, cuja estimativa aponta para um ganho de 12,7 sobre o ciclo passado, passando a mais de 35,44 milhões t. Este é o segundo ano consecutivo que Mato Grosso se mantém no topo da produção nacional.

De acordo com a Conab, a soja é o destaque entre as culturas quanto ao crescimento de produção, com acréscimo estimado entre 13,71 milhões e 16,61 milhões de toneladas em relação à safra anterior. Já o milho primeira safra apresentou uma elevação entre 216,6 mil e 1,52 milhão de toneladas, enquanto o feijão primeira safra deve variar entre – 1,4 mil e 49,3 mil toneladas – resultado dos altos preços do grão no mercado, que ocorre devido à quebra de safra dos principais países exportadores.

Quanto aos efeitos climáticos sobre o plantio de culturas, a demora do início das chuvas ainda não é um parâmetro a ser avaliado, de acordo com o secretário substituto de Política Agrícola do Mapa, Edílson Guimarães. “As chuvas podem se estender e ainda é cedo para afirmar que o clima vá afetara produção de grãos”, destacou.

Quanto à estimativa de área cultivada, esta deve ficar entre 50,89 e 52,22 milhões de hectares, resultado que indica desde a manutenção a um aumento de 2,6% de área em relação ao período 2011/12.

A soja foi o grão que apresentou crescimento de área, em comparação com o estudo das culturas de algodão, arroz, feijão primeira safra e milho primeira safra. A variação é de 5,5% a 9,3% acima do obtido na safra anterior, quando foram cultivados 25,04 milhões de hectares.

Participaram do levantamento cerca de 50 técnicos da Conab que foram a campo nas principais regiões produtoras do país, no período de 22 a 26 de outubro.

IBGE – O Levantamento Sistemático da Produção Agrícola de outubro, também divulgado ontem pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), reduziu a estimativa da produção de cereais, leguminosas e oleaginosas para este ano. Em setembro, a previsão era fechar 2012 com 163,7 milhões de toneladas, mas, agora, em outubro a estimativa passou para 162,6 milhões de toneladas, ou seja, 0,7% menor.

Mesmo assim, a expectativa é chegar a resultado 1,5% superior ao obtido em 2011, quando foram produzidos 160,1 milhões de toneladas.

Entre os 26 produtos analisados pelo IBGE, 13 deverão ter aumento na produção, em relação a 2011, entre eles o milho (27,1%), que é um dos três principais grãos do país. Os outros dois principais produtos, a soja e o arroz, devem ter redução na produção: 12,5% e 15%, respectivamente.

Entre as regiões, deverá haver aumento no Centro-Oeste (25,9%), Sudeste (11,1%) e Norte (7,4%). É esperada queda na produção das regiões Sul (17,4%) e Nordeste (16,9%). Mato Grosso, Paraná e Rio Grande do Sul deverão somar 56,1% do total da produção de cereais, leguminosas e oleaginosas no país em 2012. (Com assessoria)

Fonte: Diário de Cuiabá // Marianna Peres


Assist Consultoria | Todos Direitos Reservados

Avenida Brasília, 2711 - (66) 3419 1007 - Campo Real CEP 78840-000 - Campo Verde - MT

. .