MT já exportou 75% do volume embarcado durante todo 2011

Publicado em 26 de junho de 2012

Mato Grosso já exportou neste ano volume que equivale a 75,27% de tudo que foi embarcado em soja-grão durante os doze meses do ano passado. O ritmo surpreendente impõe novos recordes mensais e a expectativa é de que o exercício atual supere o até então melhor momento internacional da commodity mato-grossense, que em 2009 enviou ao exterior mais de 10,65 milhões de toneladas.

Conforme dados disponibilizados ontem pelo Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), em seu Boletim Semanal, de janeiro a maio deste ano foram exportados 7,28 milhões de toneladas, ante um total de 9,67 milhões de janeiro a dezembro de 2011. Como destaca o Imea, o ritmo consolida a tendência indicada pelo preço.

Em maio, o Estado enviou 2,61 milhões de toneladas para o exterior, volume inédito para o mês, superando o recorde de 2,26 milhões de toneladas enviados em março deste ano. Os maiores importadores continuam sendo China e União Europeia com representatividade de 69,2% e 19,5%, respectivamente.

O preço da saca nos portos também obteve números altos, e a média da saca para exportação no último mês foi de R$ 63,13, a maior registrada. Depois da China, os países que mais importaram soja de Mato Grosso foram Taiwan, com 65,2 mil toneladas, seguido por Portugal e Espanha, com, respectivamente, 63,2 mil e 63,1 mil toneladas, fechando o ranking dos quatro maiores importadores de soja do Estado no mês de maio.

Ainda avaliando a performance das exportações de soja em grão do Estado, o Imea destaca que o volume total é ainda maior. “Mato Grosso atinge 7,28 milhões de toneladas de soja em grão exportados, porém, se somada ao farelo, que tem 2,07 milhões de toneladas exportados até o momento, e convertendo esse volume em grão, são 9,93 milhões de toneladas de grãos, ou seja, 46,5% do total da oleaginosa produzida nesta safra”. Comparado ao volume disposto no mesmo período do ano passado, a demanda aquecida promoveu a exportação de 59,4% a mais que em 2011, pois até maio do ano passado tinham sido exportados 4,57 milhões de toneladas. “Portanto, é muito provável que as exportações de grãos de 2012 superem 2011 e o recorde obtido em 2009, quando foram exportados 10,65 milhões de toneladas. Para isso, nos próximos sete meses do ano, Mato Grosso terá que exportar mais de 3,37 milhões de toneladas, o que está fácil de acontecer, frente ao recorde de produção e a pressão da demanda”, acrescentam os analistas do Instituto.

IMPACTO – Ao mesmo tempo em que o mercado internacional demanda por mais soja e faz com que o preço continue remunerador ao produtor, o grande volume de exportações mexe com o mercado interno. Com temor por uma possível escassez do grão, a saca estadual vai quebrando recordes sobre recordes de preços. Conforme o Imea, de uma produção de 21,36 milhões de toneladas nesta temporada, estima-se haver 1,7% a comercializar, ou, pouco mais de 363 mil toneladas, indicando um intervalo de meses sem grão até que a soja norte-americana comece a chegar no mercado a partir de setembro.

A soja mato-grossense alcançou na última semana níveis ainda mais elevados no mercado, batendo um novo recorde. Os fundamentos do mercado internacional fizeram as cotações aumentarem e também deram suporte aos prêmios, que já ultrapassam US$ 1,40/bu para setembro, ou seja, incremento de R$ 6,30/sc. A variação semanal em Sapezal foi de 2,51%, em Diamantino, 1,04%, em Sorriso, 4,46%, e em Canarana, 3,85%. Os preços estão em forte alta no mercado, mesmo porque existe pouco mais de 1,7% para vender em Mato Grosso. A cotação na sexta-feira (22) em Sapezal foi de R$ 57,20/sc, em Sorriso e Diamantino a soja encerrou em R$ 58,50/sc, e em Canarana, R$ 54/sc. Os negócios durante a semana focaram a safra 2012/13, cujos valores de negociação futura já ultrapassam R$ 50/sc.
Fonte: Diário de Cuiabá


Assist Consultoria | Todos Direitos Reservados

Avenida Brasília, 2711 - (66) 3419 1007 - Campo Real CEP 78840-000 - Campo Verde - MT

. .