Pode faltar soja para exportação em Mato Grosso no segundo semestre

Publicado em 28 de maio de 2012

O Mato Grosso corre o risco de não ter soja para exportar no segundo semestre. No primeiro quadrimestre de 2012 o Estado enviou 44,6% a mais de grão que o ano passado no período. O salto, segundo dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), foi de 3,231 milhões de toneladas para 4,673 milhões. O recorde nas exportações para o período deve-se ao baixo estoque mundial e receio dos países em ficar sem a oleoginosa.

Dados do Imea revelam que até a primeira quinzena de maio 94,2% da soja da safra 2011/2012 já havia sido comercializada pelos produtores, volume este 10,6 pontos percentuais (p.p) superior aos 83,6% da ocasião em 2011. “Agora depende apenas das indústrias. Cabe a elas decidir pelo consumo interno ou exportar o grão”, salienta o analista de mercado de grãos do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), Cleber Noronha. Questionado sobre a retração de abril ao comparar com o mês em 2011 e março, o analista explica que março foi um mês de pico com a finalização da colheita. “Além disso, a demanda era maior, pois os estoques mundiais estavam baixos e o receio de ficar sem o grão por parte de alguns países era grande. Quanto a abril de 2011, vale ressaltar que a colheita da safra passada começou atrasada”, revela.

China – As importações de soja da China devem chegar a 7,23 milhões de toneladas em maio, segundo o Ministério do Comércio do país. As estimativas foram revisadas para
cima em relação à projeção anterior de 5,63 milhões de toneladas, com base em relatórios de importadores para o período de 1º a 15 de maio. Se confirmados, os dados serão recordes.

Fonte: Notícias Agrícolas


Assist Consultoria | Todos Direitos Reservados

Avenida Brasília, 2711 - (66) 3419 1007 - Campo Real CEP 78840-000 - Campo Verde - MT

. .